Quando nos comunicamos, as pausas e interrupções que fazemos enquanto falamos falam mais do que as palavras em si. Às vezes, essas mesmas paradas leves na fala podem mudar completamente o significado de uma frase. Na escrita, a pontuação equivale a essas pausas, obviamente, o uso dos pontos e suas funções são muito mais complexas, porém, é muito mais fácil entendê-los se compararmos com hábitos que temos quando conversamos.

Para entendermos melhor como usar a pontuação, precisamos conhecer os sinais que as compõem e quais as funções básicas de cada um deles.

  • Ponto final ( . ): Indica, essencialmente, o fim de uma frase.
  • Ponto de exclamação ( ! ): Indica, normalmente, o fim de uma frase exclamativa ou a expressão de um desejo.
  • Ponto de interrogação ( ? ): Indica o fim de uma frase interrogativa direta.
  • Reticências ( … ): Indica uma interrupção na mensagem. É normalmente usada como recurso expressivo.
  • Dois pontos ( : ): Usado na representação de diálogos e para introduzir uma sequência de palavras, expressões ou frases.
  • Travessão ( — ): Usado na representação do discurso direto em diálogos.
  • Vírgula ( , ): Representa uma pausa no texto ou uma separação de elementos.
  • Ponto e vírgula ( ; ): É um sinal cujo sentido localiza-se entre o da virgula e o ponto. Traz o sentido de complementação.
  • Aspas ( “” ): Usado em citações e para destacar palavras estrangeiras ou com significados conotativos.
  • Parenteses ( () ): Normalmente utilizado para adição de uma informação extra ao texto.

Pontuação nas frases

Agora que temos uma noção básica sobre os pontos, podemos estudar como funciona a pontuação e podemos estudá-los dentro da sintaxe. Veremos agora como a pontuação interage com os elementos da oração.

Termos essenciais da oração e pontuação

Já sabemos que os termos essenciais da oração são o sujeito e o predicado, e por serem dois termos essenciais, não podem ser separados por virgula, mesmo que tanto o sujeito quanto o predicado sejam longos.

Exemplo: Todo tipo de esporte radical resulta na produção de adrenalina. (sujeito sublinhado)

Termos acessórios, quando intercalados entre sujeito e predicado, necessitam do uso de vírgulas antes e depois, para facilitar sua identificação. A ausência da pontuação pode causar confusão e comprometer a compreensão.

Exemplo: Guilherme, ontem, foi a um encontro.

Em um sujeito composto, os núcleos precisam ser separados por vírgulas. O último núcleo, se acompanhado das conjunções “e”, “ou” ou “nem” não precisa de vírgula.

Exemplo: Guilherme, Adolfo e Luiza saíram cedo.

Caso todos seja introduzido em todos os núcleos do sujeito composto as conjunções citadas acima, é necessário o uso de virgula sem exceção.

Exemplo: Nem eu, nem você, nem ninguém irá impedi-lo.

O predicativo do sujeito também pode necessitar de vírgulas para separá-lo, mas apenas em situações quando ele aparece na oração invertido ou intercalado. As vírgulas isolam o elemento para facilitar o entendimento da frase.

Exemplos: Animado, Mário andou de kart.
Mário, animado, andou de kart.

Mais um uso das virgulas em relação aos termos essenciais da oração é para omitir um verbo que já foi citado no contexto.

Exemplo: Eu sou universitário; Fábio, empresário.

Termos integrantes da oração e pontuação

Assim como sujeito e predicado, os complementos verbais e nominais completam o sentido do verbo ou de um substantivo, e por isso não devem ser separados por vírgula, porém, em caso de complementos compostos, utiliza-se o mesmo método usado para sujeitos compostos.

Exemplo: Ele é professor de matemática, de física e de química.

Caso algum termo acessório esteja entre um verbo e seu complemento, ou um nome e seu complemento, ele precisa ser isolado por vírgulas. É preciso lembrar sempre de colocar uma vírgula antes e outra depois do elemento intercalado.

Exemplo: Saiba, meu amigo, das vantagens do meu negócio.

Objetos, sejam eles diretos ou indiretos, que tenham sentido pleonástico, devem empregar a vírgula.

Exemplo: Aos mestres, disse-lhes que não estudarei mais.

Termos acessórios da oração e pontuação

Adjuntos adnominais pertencem ao substantivo ao qual estão ligados, por isso não são separados por vírgulas. Porém, os adjuntos adverbiais podem ser pontuados se estiverem intercalados, como vimos nos tópicos anteriores. Também são pontuados os adjuntos adverbiais antepostos, mas só se não forem de pequena extensão.

Exemplos: Ontem à noite, cantei uma serenata para você.
Amanhã irei à cidade.

Apostos são caracterizados por vírgula ou dois pontos, a depender do tipo do aposto. O único que não leva pontuação é o aposto especificativo.

Exemplos: Pedro, que me vê todos os dias, não percebeu meu novo corte de cabelo.
O escritor João Ubaldo Ribeiro morreu.
(aposto especificativo)

O vocativo também sempre deve ser separado por vírgulas.

Exemplo: Amigos, espero que gostem do produto.