Verbos são as palavras da língua portuguesa que mais possuem flexões, e são justamente essas flexões que os caracterizam como verbos. Diferente do que muitos pensam, verbos não se referem apenas a ações, mas também a fenômenos naturais, caráter de estado, desejo e ocorrências. Suas flexões são em número, pessoa, modo, tempo e voz. Os verbos são considerados as palavras mais importantes para a construção de uma mensagem, frase, ideia escrita ou oral. Conhecer e saber conjugar verbos é o requisito mais importante para se ter uma escrita ou oralidade boa na língua portuguesa.

Estrutura

O verbo possui uma estrutura morfológica composta por apenas três morfemas: radical, vogal temática e desinência. São estruturas básicas que não existem apenas no verbo. Estes morfemas já foram explicados de modo geral aqui no site, na página de morfologia, porém agora daremos uma atenção maior aos verbos.

  • Radical – É a parte da palavra que carrega seu significado e que não é mutável, na maioria das vezes.
  • Vogal temática – Existem três vogais temáticas, e a função delas é a ligação do radical com a desinência. O radical e a vogal temática juntos formam o tema.
  • Desinências – Morfemas adicionados ao tema para caracterizar as flexões do verbo. Existem desinências verbais modo-temporais e número-pessoais.

Exemplo: Na palavra brigávamos, podemos identificar a seguinte divisão:

  • brigá é o tema, junção do radical brig com a vogal temática á;
  • va é a desinência verbal modo-temporal;
  • mos é a desinência verbal número-pessoal.

As três vogais temáticas dividem os verbos em três grupos de conjugação:

  • Verbos de primeira conjugação: São aqueles com a vogal temática “a”.
    Exemplos: levantar, jantar, ventar, guiar.
  • Verbos de segunda conjugação: São aqueles com a vogal temática “e”.
    Exemplos: beber, escrever, conhecer, anoitecer.
  • Verbos de terceira conjugação: São aqueles com a vogal temática “i”. Exemplos: dormir, fugir, construir, traduzir.

O verbo “pôr” e seus derivados “compor”, “dispor”, “depor” etc, são considerados verbos de segunda conjugação. Isso se dá graças à derivação arcaica da palavra latina ponere para o português “poer”.

Classificação dos verbos

Existem padrões de flexões para cada tipo de conjugação de verbos. Estes padrões são chamados de paradigmas. Os verbos podem ser classificados de acordo com o seu comportamento em relação ao paradigma de sua conjugação, podendo ser:

  • Regulares – Seguem o paradigma de conjugação.
  • Irregulares – Não seguem o paradigma de conjugação, apresentam irregularidades nos radicais ou nas terminações.
    • Anômalos: Verbos irregulares que têm variações em seu radical.
  • Defectivos: Não são conjugados em algum tempo, modo ou pessoa.
  • Abundantes: Conjugam-se de mais de uma forma em algum tempo, modo, número ou pessoa.

Flexão do verbo por pessoa e número

Os verbos são flexionados por pessoa e número simultaneamente, pois as desinências que os representam são conjuntas. Mesmo mantendo o mesmo número e modificando apenas a pessoa, a conjugação muda. O número varia entre singular e plural, e para cada um existem 3 pessoas: primeira, segunda e terceira. Cada um dessas pessoas é representada por um pronome pessoal.

Singular Plural
Eu Nós
Tu Vós
Ele/Ela Eles/Elas

O pronome “tu” é usado em apenas algumas regiões do Brasil; no restante do País, para tratar da segunda pessoa é comum usarmos “você”. Este pronome, porém, usa a conjugação do verbo como se fosse terceira pessoa. As conjugações de número e pessoa poderão ser vistas nas tabelas dos paradigmas.

Flexão do verbo por tempo e modo

Tempo e modo estão associados no verbo, assim como número e pessoa: caso um mude, é preciso mudar a conjunção mesmo que o outro se mantenha. Os verbos podem estar em três tempos: pretérito (ou passado), presente e futuro. Tanto pretérito quanto futuro possuem subdivisões. O pretérito pode ser perfeito, imperfeito ou mais-que-perfeito. O futuro pode ser do presente ou do pretérito.

Três também são as flexões de modo: indicativo, quando se tem certeza sobre o que é passado; subjuntivo, quando não há essa certeza; e imperativo, quando se quer expressar ordem, desejo ou pedido. Cada um dos modos verbais possui uma certa quantidade de tempos, como podemos ver em:

  • Modo Indicativo
    • Pretérito
      • Perfeito
      • Imperfeito
      • Mais-que-perfeito
    • Presente
    • Futuro
      • Do pretérito
      • Do Presente
  • Modo Subjuntivo
    • Pretérito Imperfeito
    • Presente
    • Futuro
  • Modo Imperativo
    • Presente
      • Afirmativo
      • Negativo

Os tempos vistos acima são os chamados tempos simples. Exemplos de conjunção estão nas tabelas de paradigmas dos verbos regulares.

Além dos modos e tempos acima, os verbos também possuem mais três formas nominais, podendo se comportar como adjetivos, advérbios ou substantivos. As formas nominais são três: imperativo (pessoal e impessoal), gerúndio e particípio.

Flexão do verbo por voz

A voz do verbo se relaciona com o ser a que ele se refere, se ele é ativo ou passivo do processo verbal. Existem três vozes verbais:

  • Voz ativa – quando o sujeito do verbo é ativo, é a ele que que o verbo se refere. Exemplo: Eu chutei a bola no gol.
  • Voz passiva – Quando o sujeito do verbo é passivo, ele se refere à ação praticada. Exemplo: A bola foi chutada no gol por mim
  • Voz reflexiva – quando o sujeito do verbo é ao mesmo tempo ativo e passivo. Exemplo: Eu atirei-me ao gol.

Paradigmas dos verbos regulares

Já vimos que os paradigmas são os padrões seguidos por cada um dos grupos de conjunções verbais. É a partir destes paradigmas que desenvolvemos as flexões dos verbos regulares de acordo com tempo, modo, número e pessoa. As tabelas abaixo apresentam, através de exemplos, os paradigmas de todos os tempos simples e as três formas nominais dos verbos.

Presente do modo indicativo

Amar Beber Partir
Eu amo Eu bebo Eu parto
Tu amas Tu bebes Tu partes
Ele ama Ele bebe Ele parte
Nós amamos Nós bebemos Nós Partimos
Vós amais Vós bebeis Vós partis
Eles amam Eles bebem Eles partem

Pretérito perfeito do modo indicativo

Amar Beber Partir
Eu amei Eu bebi Eu parti
Tu amaste Tu bebeste Tu partiste
Ele amou Ele bebeu Ele partiu
Nós amamos Nós bebemos Nós partimos
Vós amastes Vós bebestes Vós partistes
Eles amaram Eles beberam Eles partiram

Pretérito imperfeito do modo indicativo

Amar Beber Partir
Eu amava Eu bebia Eu partia
Tu amavas Tu bebias Tu partias
Ele amava Ele bebia Ele partia
Nós amávamos Nós bebíamos Nós partíamos
Vós amáveis Vós bebíeis Vós Partíeis
Eles amavam Eles bebiam Eles partiam

Pretérito mais-que-perfeito do modo indicativo

Amar Beber Partir
Eu amara Eu bebera Eu partira
Tu amaras Tu beberas Tu partiras
Ele amara Ele bebera Ele partira
Nós amáramos Nós bebêramos Nós partíramos
Vós amáreis Vós bebêreis Vós partíreis
Eles amaram Eles beberam Eles partiram

Futuro do pretérito do modo indicativo

Amar Beber Partir
Eu amaria Eu beberia Eu partiria
Tu amarias Tu beberias Tu partirias
Ele amaria Ele beberia Ele partiria
Nós amaríamos Nós beberíamos Nós partiríamos
Vós amaríeis Vós beberíeis Vós partiríeis
Eles cantariam Eles beberiam Eles partiriam

Futuro do presente do modo indicativo

Amar Beber Partir
Eu amarei Eu beberei Eu partirei
Tu amarás Tu beberás Tu partirás
Ele amará Ele beberá Ele partirá
Nós amaremos Nós beberemos Nós partiremos
Vós amareis Vós bebereis Vós partireis
Eles amarão Eles beberão Eles partirão

Pretérito imperfeito do modo subjuntivo

Amar Beber Partir
Se eu amasse Se eu bebesse Se eu partisse
Se tu amasses se tu bebesses Se tu partisses
Se ele amasse Se ele bebesse Se ele partisse
Se nós amássemos Se nós bebêssemos Se nós partíssemos
Se vós amásseis Se vós bebêsseis Se vós partísseis
Se eles amassem Se eles bebessem Se eles partissem

Presente do modo subjuntivo

Amar Beber Partir
Que eu ame Que eu beba Que eu parta
Que tu ames Que tu bebas Que tu partas
Que ele ame Que ele beba Que ele parta
Que nós amemos Que nós bebamos Que nós partamos
Que vós ameis Que vós bebais Que vós partais
Que eles amem Que eles bebam Que eles partam

Futuro do modo subjuntivo

Amar Beber Partir
Quando eu amar Quando eu beber Quando eu partir
Quando tu amares Quando tu beberes Quando tu partires
Quando ele amar Quando ele beber Quando ele partir
Quando nós amarmos Quando nós bebermos Quando nós partirmos
Quando vós amardes Quando vós beberdes Quando vós partirdes
Quando eles amarem Quando eles beberem Quando eles partirem

Imperativo afirmativo

Amar Beber Partir
Ama tu Bebe tu Parte tu
Ame você beba você Parta você
Amemos nós Bebamos nós Partamos nós
Amai vós Bebei vós Parti vós
Amem vocês Bebam vocês Partam vocês

Imperativo negativo

Amar Beber Partir
Não ames tu Não bebas tu Não partas tu
Não ame você Não beba você Não parta você
Não amemos nós Não bebamos nós Não partamos nós
Não ameis vós Não bebais vós Não partais vós
Não amem vocês Não bebam vocês Não partam vocês

Infinitivo impessoal

Amar Beber Partir
Amar Beber Partir

Infinitivo pessoal

Amar Beber Partir
Amar Beber Partir
Amares Beberes Partires
Amar Beber Partir
Amarmos bebermos Partirmos
Amardes Beberdes Partirdes
Amarem Beberem Partirem

Gerúndio

Amar Beber Partir
Amando Bebendo Partindo

Particípio

Amar Beber Partir
Amado Bebido Partido