As preposições são palavras que têm a função primária de ligar e subordinar duas outras palavras, uma que vem antes dela e outra que vem depois. Essas palavras, entre as quais é estabelecida uma relação de regente e regido, podem ser um advérbio e um substantivo, um adjetivo e um substantivo, um substantivo e outro substantivo, um verbo e um substantivo ou o contrário. As palavras postas em relação não podem ter o sentido dissociado, pois criaria uma falha no entendimento da mensagem.

Podemos ver no exemplo a seguir como funciona essa relação de subordinação de palavras pela preposição.

O gato de rua não gosta de peixe com fungos.

Neste caso podemos ver que “de” na primeira parte sublinhada estabelece uma relação da palavra “gato”, que é regente, com a palavra “rua”, que é regida. Na segunda parte temos a mesma situação, a preposição “com” liga “peixe” e “fungos”. Caso essas palavras sejam dissociadas, o sentido que elas produzem quando juntas se perderá e implicará numa falha de comunicação.

As preposições não ligam apenas dois termos, elas podem ligar duas orações ou um termo e uma oração. Seguindo a mesma linha que usamos nas preposições que ligavam palavras associando seus sentidos, podemos associar os sentidos de duas orações fazendo com que elas se completem em uma relação de subordinação. Veja os exemplos abaixo:

Ao aparecer, gritei parabéns.

É uma pessoa de palavra.

As palavras sublinhadas são preposições que dão à frase um sentido de subordinação. “A” em “Ao” subordina “o aparecer” com a oração “gritei parabéns”. A preposição “de” no segundo exemplo liga a oração “É uma pessoa” com o termo “palavra”, que no contexto significa “confiável”.

Classificação das preposições

Preposições essenciais

Existem algumas classes de preposições. As essenciais são palavras que têm a função exclusiva de preposição. Sempre que usadas são consideradas preposições, e também são as mais comuns de se ler e ouvir na língua portuguesa.

São preposições essenciais: a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, perante, por, sem, sob, sobre, trás.

É comum confundir a preposição “a” com o artigo “a”, porem tratam-se de palavras que ocupam funções diferentes na língua.

Preposições acidentais

As preposições acidentais não são originalmente preposições, são palavras de outras classes gramaticais que exercem esse papel. Podem ser preposições acidentais as seguintes palavras: conforme, durante, como, fora, segundo, exceto, salvo, mediante, entre diversas outras.

Locuções prepositivas

Acontece uma locução prepositiva quando duas ou mais palavras possuem, juntas, o valor de uma preposição, ligando dois elementos do discurso em uma relação de subordinação. São exemplos de locuções prepositivas: Acima de, acerca de, em frente a, ao lado de, graças a etc

Contração e combinação das preposições

É muito comum preposições se encontrarem com artigos e com pronomes nas orações, este tipo de encontro pode gerar uma junção entra a preposição e o artigo ou pronome. Esta junção forma uma outra palavra que é a preposição contraída ou combinada com a outra palavra que veio após ela.

As contrações envolvem apenas a preposição “a” com os pronomes “aquele”, “aquela”, “aqueles”, “aquelas”, “aquilo” e o artigo “a”. Quando essas duas palavras se encontram, é usado a crase (`) no primeiro “a”.
Exemplos: à, àquela, àquilo, àqueles

As combinações ocorrem entre preposições e artigos, ou pronomes também, porém não seguem a mesma estrutura que as contrações. Os casos mais comuns de combinações são com as preposições “de” e “em”. Vejamos exemplos de combinações com suas respectivas palavras originais.

  • no = em + artigo “o”
  • da = de + artigo “a”
  • daquilo = de + aquilo
  • naqueles = em + aqueles
  • desta = de + esta