O predicado é um termo essencial da oração. Tudo aquilo que se refere ao sujeito é predicado, e sua estrutura se forma em torno do verbo da oração, que pode ou não ser o núcleo do predicado. O predicado engloba também o verbo e a maneira como ele se refere ao sujeito. Todo o predicado precisa estar concordando em número e pessoa com o sujeito. Em alguns casos as orações não tem sujeito, então o predicado flexiona-se na terceira pessoa do singular.

Grupos de verbos

Verbos nocionais e verbos não-nocionais

O verbo ou locução verbal é parte obrigatória do predicado, então para entender melhor esse termo é preciso estudar os verbos. A princípio, podemos dividi-los em dois grupos: os nocionais e os não-nocionais. A diferença entre eles é conceitualmente simples, porém é mais percebida no contexto da oração. Os verbos nocionais são aqueles que representam alguma ação, fenômeno, desejo ou atividade física ou mental. Os verbos não-nocionais são os que representam caráter de estado, também conhecidos como verbos de ligação. Os verbos nocionais sempre são o núcleo do predicado, enquanto os não-nocionais nunca podem assumir tal posição.

Para um melhor entendimento, podemos analisar duas orações com o verbo “andar” e o mesmo sujeito em ambas. Porém, o primeiro exemplo é uma orações com o verbo nocional e a outra não-nocional, assim será mais fácil notar a diferença entre eles.

Ele anda muito rápido.
e
Ele anda triste.

Na primeira oração, “anda” está se referindo a uma atividade, a de andar. Já na segunda, “anda” não é uma ação, mas se refere ao estado de espírito do sujeito. Prova disso é que o verbo pode ser substituído por “está” sem muitas perdas no significado.

Verbos transitivos e intransitivos

Os verbos ou locuções da oração também podem ser agrupados pela sua transitividade, ou seja, quanto à necessidade de ter ou não complemento. Os verbos que não necessitam de complementos são chamado de intransitivos, já os que necessitam são transitivos. Os verbos transitivos podem ser classificados como diretos, indiretos ou as duas coisas, conforme a necessidade de usar ou não uma preposição entre ele e o complemento. Vejamos os exemplos abaixo:

A criança nasceu. – Verbo intransitivo
Eles jogaram futebol. – Verbo transitivo direto
Minha mãe nunca duvidou de mim. – Verbo transitivo indireto

Tipos de predicado

Os predicados são classificados conforme os seus núcleos. Para identificá-lo, deve-se analisar se a ideia que se vincula ao sujeito é de ação passiva ou ativa, ou de caráter de estado. Veja abaixo os tipos de predicados.

Predicado verbal

Predicados cujo verbo é o núcleo da oração. Neste caso, o verbo ou locução verbal sempre será nocional. É encontrado nas orações que indicam apenas ações, desejos, fenômenos ou atividades, sejam elas sofridas ou causadas pelo sujeito.
Exemplos: Eu nunca lutei sem luvas; Perdi o foco da apresentação.

Predicado nominal

O núcleo deste tipo de predicado é o predicativo do sujeito, um termo que caracteriza o sujeito. Este predicativo pode ser um adjetivo, substantivo ou palavra substantivada. O verbo deste tipo de predicado é sempre não-nocional, um verbo de ligação que faz uma ponte entre o sujeito e o seu predicativo.
Exemplos: A vida é bela; Ele está decepcionado.

Predicado verbo-nominal

Nos predicados verbo-nominais, existem dois núcleos: um verbo nocional e um predicativo, que pode ser do sujeito ou do verbo. Ou seja, um predicativo do sujeito ou um objeto direto ou indireto. Predicados deste tipo são uma união de características dos outros dois tipos de predicados.
Exemplos: Acabei o trabalho muito cansado; Ele achou essa atividade humilhante.