Os numerais são palavras que têm a função que normalmente atribuímos aos números. Eles ordenam e quantificam os elementos do discurso. Não há muito mistério sobre esta classe gramatical, os numerais são simples e fáceis de se compreender pelo fato de desempenharem funções muito específicas.

Classificação

Numeral cardinal

São todos os numerais que quantificam seres, seja qual for a sua quantidade. Sua variação é infinita, assim como os números que ele representa. Pode variar entre um, dois, três, mil, um milhão, trezentos bilhões e por aí vai. Muitas vezes pode inclusive significar falta ou até mesmo um número negativo. Alguns numerais cardinais se flexionam por gênero, é o caso de um/uma, dois/duas, além das centenas (duzentos/duzentas, trezentos/trezentas, quatrocentos/quatrocentas, e assim por diante). Os numerais “milhão” e “bilhão” flexionam-se por número em “milhões” e “bilhões”, respectivamente

Numeral ordinal

São todos os numerais que ordenam os seres, ou seja, os colocam em diferentes posições seguindo uma ordem. Eles também têm muitas representações, pois derivam de números. Temos como exemplos: primeiro, segundo, terceiro, décimo, centésimo. Os ordinais se flexionam conforme o gênero, normalmente com a substituição do “o” no final por “a”, formando assim o gênero feminino.

Numeral multiplicativo

São numerais que indicam um aumento de quantidade proporcional, indicado por um número que multiplica. É o caso das seguintes palavras: dobro, triplo, quádruplo. Estes numerais também podem ser flexionados tanto em gênero quanto em número.

Numeral fracionário

São numerais opostos aos multiplicativos, indicam a diminuição de quantidade em proporção, indicado por um número que divide. São exemplos de numerais fracionários: terço, metade, quarto, onze avos, décimo, centésimo e milésimo. Esta classe de numeral pode se flexionar por gênero e número, assim como os multiplicativos.