O que é morfologia?

Morfologia é o estudo da estrutura, formação, classificação e flexão das palavras. Para concretizar seus objetivos, a morfologia considera as palavras isoladamente, fora do contexto de qualquer frase, oração ou período.

Morfema e suas divisões

O morfema é uma unidade formal na morfologia, um fragmento da palavra que traz sentido a ela. O morfema é indivisível, é a fração mínima da palavra. É a junção de um ou mais destes elementos que define a palavra e qual a sua classificação. Os morfemas são classificados em:

Radical

Radical é o morfema que serve de base para a palavra, é a parte que carrega o maior significado dela. Mesmo que outros morfemas sejam mudados, o radical da palavra permanecerá intacto.

EXEMPLO: Na palavra “indiscreto”, o radical é “discret” pois podemos inserir ou retirar outros morfemas e essa partícula continuará sem mudanças, como podemos ver em “discretamente”. O morfema “discret” não mudou, e continua trazendo consigo o significado que carregava em “discreto”

Afixo

Afixos são morfemas que têm a capacidade de mudar o sentido do radical no qual eles se inserem. Quando os afixos vêm antes do radical, recebe o nome de prefixo; quando estão após o radical, são chamados de sufixos.

EXEMPLO: Nas palavras “desequilíbrio” e “orientador” temos um afixo em cada. Em “desequilíbrio”, o morfema “des” adiciona ao radical o sentido de “falta de”. Já em “orientador”, o morfema “dor” traz a ideia de praticante da ação, neste caso, “aquele que orienta”.

Desinências

Desinências são morfemas que sempre vêm após o radical e flexionam as palavras nas quais são inseridos. Subdividem-se em nominais e verbais, sendo os nominais aqueles que flexionam genêro e número e os verbais aqueles que realizam flexões do verbo: flexões de pessoa, modo, tempo e número.

EXEMPLO: Nas palavras “meninos” e “brincava” podemos notar, respectivamente, as desinências nominal e verbal.

Vogais temáticas

Vogais temáticas são morfemas que, de modo semelhante às desinências, também localizam-se após o radical. Sua função é exatamente juntar-se ao radical, formando um tema. É sobre o tema que as desinências verbais se incluem formando a palavra.

EXEMPLO: Em “brincava” a junção do radical “brinc” com a vogal temática “a” forma o tema “brinca”.

Vogais ou consoantes de ligação

São morfemas que não trazem um significado ou flexão, mas facilitam ou possibilitam a leitura de uma palavra. Eles podem ser encontrados fazendo a ligação entre quase quaisquer tipos de morfemas.

EXEMPLO: Nas palavras “imaculada” e “termômetro”, os morfemas sublinhados servem apenas para ligar dois morfemas e facilitar nossa leitura e pronúncia.

Classificação das palavras

Na morfologia existe uma classificação para as palavras, que são agrupadas conforme seu processo de formação e a finalidade a que se destinam. São classes de palavras:

  • Verbos – Palavras que podem se flexionar em tempo, número, pessoa, modo e voz. Podem indicar ação, fenômenos, caráter de estado e diversos outros processos.
  • Substantivos – Palavras que nomeiam pessoas, lugares, instituições, objetos, grupos e indivíduos de qualquer natureza. Resumidamente, dão nomes aos seres.
  • Artigos – Acompanham o substantivo para generalizá-lo ou individualizá-lo.
  • Pronomes – Palavras que representam ou fazem referência a um ou mais substantivos.
  • Numerais – Palavras que indicam ou quantidade ou ordem.
  • Adjetivos – Palavras que se relacionam com os substantivos, caracterizando-os, qualificando-os.
  • Advérbios – Palavras que se relacionam com os verbos, atribuindo a eles circunstâncias.
  • Preposições – Palavras conectivas que atuam entre outras palavras ou orações estabelecendo uma ligação de dependência entre elas.
  • Conjunções – Palavras que ligam termos de orações ou ligam orações entre si.
  • Interjeições – Palavras que expressam emoções ou sensações, que trazem um estado de espírito ou tentam fazer com que o interlocutor tome uma determinada atitude.