Parnasianismo

O Parnasianismo foi um movimento literário que se desenvolveu na frança e espalhou-se pela Europa, tendo inclusive influenciado a literatura brasileira. Teve seu auge durante o século XIX e coexistiu junto com o Realismo e Naturalismo. O movimento tem a essência poética, isso quer dizer, quase todas as obras literárias do parnasianismo são poesias. A escola também tinha uma preocupação estética muito grande, não tinham a preocupação de ser engajado ou tratar de temas emocionais, foi ao parnasianismo que atribuiu a expressão “arte pela arte”.

A busca da recuperação do valores estéticos da literatura da antiguidade clássica era uma das justificativas para a existência do parnasianismo. O próprio nome do movimento traz elementos da mitologia grega: a montanha destinada a Apollo e as musas, o Monte Parnaso. Os primeiros parnasianistas tinham uma característica em comum. todos rejeitavam o uso de poesias líricas como ferramenta de fé. São da primeira geração do parnasianismo: Théophile Gautier, Leconte de Lisle, Théodore de Banville e José Maria de Heredia.

Características

O parnasianismo retorna à antiguidade clássica, com o foco maior na estética literária da época. A estrutura da poesia era mais importante, muitas vezes, que o seu próprio conteúdo. Este conceito de “arte pela arte” é o ponto chave do movimento. São características, também, desta escola literária:

  • Preciosismo: todo objeto da poesia deve se tornar único, precioso, por isso era usado palavras poucos conhecidas e rimas ricas.
  • Impessoalidade: O autor não deforma o que está descrevendo com o seu ponto de vista. Fatos, personagens e acontecimentos são apenas descritos conforme a realidade.
  • Culto à forma: Os parnasianos eram focados na estética das poesias, não possuíam nenhum compromisso que não fosse pela beleza da forma.
  • Exotismo e Mitologia: Estes temas eram valorizados pelos autores do movimento, principalmente a temática greco-romana.
  • Descritivismo: Muitas obras parnasianas são apenas sobre a apreciação e descrição extremamente detalhada de objetos.
  • Metrificação: Existia um rigor quanto a quantidade de sílabas poéticas em casa verso. Precisavam ser iguais em todos os versos e normalmente eram usado 10 ou 12.
  • Estruturas Fixas: O uso de estrutura fixas para a composição das poesias também eram uma tendência bem característica. O Soneto, composto por duas estrofes de quatro versos seguidos por duas estrofes de três versos, era o mais usado.
  • Parnasianismo no Brasil

    O parnasianismo foi um movimento literário muito importante no Brasil e que teve os princípios propagados por bastante tempo, de 1880, quando começou a ganhar forma em território nacional, até 1922, quando foi combatido pelo modernismo, o parnasianismo tinha um elevado número de poetas. Com características muito parecidas com o parnasianismo francês, o movimento no Brasil só tinha pequenas diferenças, a mais notável é que a subjetividade não foi rejeitada. Alguns dos poetas parnasianos mais famosos no Brasil são: Alberto de Oliveira, Raimundo Correia e Olavo Bilac.

    EXEMPLO

    Um beijo
    Olavo Bilac

    Foste o beijo melhor da minha vida,
    ou talvez o pior…Glória e tormento,
    contigo à luz subi do firmamento,
    contigo fui pela infernal descida!

    Morreste, e o meu desejo não te olvida:
    queimas-me o sangue, enches-me o pensamento,
    e do teu gosto amargo me alimento,
    e rolo-te na boca malferida.

    Beijo extremo, meu prêmio e meu castigo,
    batismo e extrema-unção, naquele instante
    por que, feliz, eu não morri contigo?

    Sinto-me o ardor, e o crepitar te escuto,
    beijo divino! e anseio delirante,
    na perpétua saudade de um minuto…


    EXEMPLO

    Cinco Sentidos
    Alberto de Oliveira

    Cinco sentidos são os cinco dedos
    Com que o homem tacteia a escuridão,
    Rodeado de sombras e segredos
    De que busca, e não acha, a solução.

    Mas decerto haverá mundos mais ledos
    Onde outros seres, de maior visão,
    Rompendo brumas, dissipando medos,
    A treva finalmente vencerão.

    E sendo sete as cores, e outros tantos
    Os sons da escala, mas com mil matizes
    Que prolongam seu eco e seus encantos,

    Talvez nos seja um dia transmitido,
    Por esses mundos fortes e felizes,
    Um novo sexto e sétimo sentido!

    Principais autores e suas obras

  • Olavo Bilac – apesar de ser considerado parnasianista, Bilac não se limitava às ideias do movimento. Por conta disso, ele é considerado um dos escritores mais populares de sua época. Suas principais obras, ‘O Caçador de Esmeraldas’, ‘A sesta de Nero’ e ‘O incêndio de Roma’, rompem com o tom comedido típico do parnasianismo.
  • Raimundo Correia – a visão subjetiva e negativa que o autor tinha do mundo, além de um certo tom filosófico, embora superficial, fez de Correia um dos expoentes do movimento parnasianista.
  • Parnasianismo
    3 (60%) 2 votos