“Aterrizar” ou “Aterrissar”?

Provavelmente você já deve ter utilizado e ouvido as palavras “aterrissar” ou “aterrizar” para se referir ao ato de pousar e descer em algum lugar. Como as duas formas são frequentemente empregadas, tanto na grafia como na fala, é normal que a dúvida seja recorrente, já que os vocábulos possuem escritas e pronúncias diferentes, apesar de possuírem o mesmo significado.

Leia mais

“Cardeal” ou “Cardial”?

As duas palavras existem e estão corretas de acordo com a norma culta da língua portuguesa. São parecidas quanto ao som e a grafia, no entanto, possuem significados diferentes.

Leia mais

“À vista”, “a vista” ou “avista”

As três formas estão corretas e, segundo a norma culta da língua portuguesa, existem. No entanto, os seus significados e as situações em que devemos usa-las são diferentes.

Com acento indicador de crase, ‘à vista’ é uma expressão sinônima de: na presença, diante dos olhos, de imediato, sendo muito utilizada para designar um pagamento total realizado no ato da compra. Sem acento indicador de crase, ‘a vista’ é a junção do artigo definido ‘a’ com o substantivo feminino ‘vista’. Quanto ao vocábulo ‘avista’, este refere-se ao verbo ‘avistar’, conjugado na segunda pessoa do singular do imperativo ou na terceira pessoa do singular do presente do indicativo, no sentido de, principalmente, visualizar algo/alguma coisa.

Leia mais

“Em cima” ou “encima”?

Se você ainda tem dúvidas quanto ao uso dos vocábulos “em cima” e “encima”, saiba que as duas formas existem na língua portuguesa e estão corretas. No entanto, os seus significados e a aplicação são diferentes. A confusão na grafia da locução adverbial ‘em cima’ ocorre porque os falantes equivocadamente estabelecem um paralelismo com o advérbio ‘embaixo’.

Leia mais

“Atrasado” ou “atrazado”

A grafia correta da palavra é “atrasado”, com ‘s’. O vocábulo “atrazado”, com ‘z’, não existe na norma culta da língua portuguesa.

Sempre que quisermos nos referir a alguém que demorou ou se atrasou devemos utilizar o adjetivo ‘atrasado’. O vocábulo pode significar também algo ou alguém que ficou para trás, que se adiou, não se modernizou, ficou fora do tempo. Assim, ‘atrasado’ é sinônimo de tardio, procrastinado, adiado, demorado, antiquado, obsoleto, desatualizado, ultrapassado, subdesenvolvido, vencido, entre outros.

Leia mais

“De repente” ou “derrepente”

Nem “derrepente” ou “derepente”. Apesar da confusão na hora de escrever, a grafia correta é “de repente” separado. A expressão é uma locução adverbial porque tem função sintática de advérbio de tempo ou de modo. Possui o sentido de algo ‘repentino’, ‘súbito’, ‘ímpeto’. Confira abaixo alguns exemplos de como usar essa palavra de forma correta:
Leia mais

“TV a cores” ou “TV em cores”?

Embora o termo “TV a cores” seja o que mais vemos por aí, ele é incorreto, o correto é “TV em cores“. Uma vez que, atualmente, todas as imagens televisivas possuem cores, a não ser por questões propositais, geralmente, essa dúvida acontece quando alguém está escrevendo um texto ligado à história. Não existe uma explicação fundamental para esse fato, apenas circunstancial. A expressão “a cores” passou a ser tida como correta de tanto se falar costumeiramente.
Leia mais