O uso do por que, por quê, porque e porquê

Uma dúvida muito comum quando estamos escrevendo é que tipo de “porquê” usar. A existência de tantas palavras iguais e com um significado próximo gera em muitos um nó no pensamento. Iremos desatar este nó em sua cabeça e ensinar o devido uso de cada um dos porquês na língua portuguesa.

O “por que” pode ser a junção da preposição “por” com os pronomes indefinidos ou interrogativo “que”, o que o deixa com o significado de “por qual razão”. O mesmo “por que” pode ser a preposição “por” junto com o pronome relativo “que”, neste caso o significado é de “pelo qual”. Para entender melhor, veja os exemplos abaixo.

Você sabe por que Maria não veio? – Você sabe por qual razão Maria não veio?
Não sei por que motivos ela faltou! – Não sei pelos quais motivos ela faltou!

Quando estiver no final da frase, ou seja, preceder um ponto, seja exclamação, interrogação ou final, o “que” levará um acento circunflexo. O “por quê” tem os mesmo significado de “por qual motivo” ou “por qual razão”. Veja o exemplo:

Ela não virá? Por quê? – Ela não virá? Por qual motivo?

A nossa próxima palavra, o “porque”, é uma conjunção que expressa causa, pode ser entendida como “pois”, “uma vez que” e “visto que”. Veja o exemplo para a melhor compreensão do uso desta palavra.

Ela não veio porque tinha outro compromisso! – Ela não veio uma vez que tinha outro compromisso!

O último é o “porquê”. Esta palavra é um substantivo, e tem significado de “motivo” ou “razão”. Sua aplicação funciona exatamente como qualquer outro substantivo, para entender melhor veja o exemplo:

O porquê de Maria não estar aqui é problema dela! – O motivo de Maria não estar aqui é problema dela!

O uso do por que, por quê, porque e porquê
5 (100%) 9 votos