Conjunções são palavras que, assim como as preposições, relacionam termos de mesmo valor sintático ou orações. As conjunções podem relacionar duas orações com significados equivalentes, também conhecidas como orações coordenadas, ou pode criar uma relação de subordinação, assim como as preposições, vinculando uma oração subordinada a uma oração principal. Podemos entender melhor como funcionam as conjunções nos exemplos abaixo:

Ele é um rapaz bondoso e honesto.

Ele é bondoso, mas seus pais são desonestos.

Ele é tão bondoso que se sacrificou.

No primeiro exemplo temos a conjunção “e” ligando “bondoso” e “honesto”, são dois termos sintaticamente iguais. No segundo exemplo temos duas orações coordenadas, a conjunção “mas” as liga, mas se fosse colocado um ponto no final de cada uma delas, as frases ainda teriam sentido próprio. Já no terceiro exemplo, “que” liga duas orações, mas “Ele é tão bondoso” é que dá sentido a “se sacrificou”. As duas orações estão ligadas em uma relação de subordinação, e o sentido delas só é pleno com a presença de ambas.

Existem também conjuntos de palavras que podem assumir o papel de uma conjunção em uma frase. Este grupo de duas ou mais palavras é chamado de locução conjuntiva.

Exemplos: Ainda que, por mais que, à medida que.

Classificação das conjunções

As conjunções são, primeiramente, classificadas em dois tipos: as que relacionam dois termos ou orações de significados equivalentes, chamadas de conjunções coordenativas; e as que relacionam orações sobre uma relação de subordinação, que são chamadas de conjunções subordinativas. Cada um destes grupos tem suas próprias classes de conjunções conforme o que exprimem na relação.

Coordenativas

  • Aditivas: soma, adição.
    Exemplos: e, nem, mas também.
  • Adversativas: oposição, contraste.
    Exemplos: mas, porém, contudo, não obstante
  • Alternativas: alternância ou exclusão.
    Exemplos: ou, ou…ou, ora…ora
  • Conclusivas: conclusão.
    Exemplos: logo, portanto, por conseguinte
  • Explicativas: explicação.
    Exemplos: porque, porquanto

Subordinativas

  • Integrantes: relacionam orações subordinadas substantivas.
    Exemplos: que, se, como.
  • Causais: causa.
    Exemplos: uma vez que, porque, porquê, visto que.
  • Concessivas: concessão.
    Exemplos: embora, ainda que, mesmo que, conquanto.
  • Condicionais: condição ou hipótese.
    Exemplos: se, caso, contanto que.
  • Conformativas: conformidades.
    Exemplos: conforme, segundo, como.
  • Comparativas: comparam duas orações.
    Exemplos: como, mais… (do) que, menos… (do) que
  • Consecutiva: consequências.
    Exemplos: que, de sorte que, de forma que
  • Finais: finalidade
    Exemplos: para que, a fim de que, que, porque
  • Proporcionais: estabelece proporcões.
    Exemplos: à medida que, ao passo que
  • Temporais: indicam tempo.
    Exemplos: quando, antes que, enquanto, depois que