Aprenda a usar a cedilha

Com inúmeras regras, a ortografia é um dos tópicos da gramática mais temidos pelos estudantes. Cientes da dificuldade para memorizar, o mais indicado é que o hábito da leitura e da escrita seja sempre estimulado junto a consultas a dicionários. Assim, fica muito mais fácil aprender a escrever as palavras corretamente.

A grafia dos vocábulos decorre, essencialmente, de sua origem (etimologia) – em alguns caso por mera convenção. Logo, não é sempre que regras são estabelecidas. Quanto ao uso da cedilha (Ç):

    • sempre no interior das palavras, nunca no início;
    • utilizamos antes das vogais ‘a’, ‘o’ ou ‘u’;

Exemplos: arruaça, quebradiço, açúcar.

    • em palavras originadas de vocábulos terminados em -TO, -TOR e -TIVO;

Exemplos: conjunto – conjunção, infrator – infração, ativo – ação.

    • em substantivos que terminam em -TENÇÃO originados de verbos que terminam em -TER;

Exemplos: reter – retenção, deter – detenção.

    • nos sufixos -ÇAR, cujo substantivo concomitante seja terminado em -CE ou -ÇO;

Exemplos: lance – lançar, abraço – abraçar.

    • em substantivos que terminam em -ÇÃO originados de verbos terminados com a letra ‘R’;

Exemplos: exportar – exportação, fechar – fechação.

    • em algumas palavras de origem árabe;

Exemplos: açafrão, açafate.

    • nos sufixos -IÇA e IÇO;

Exemplos: preguiça, maciço.

    • nos sufixos -ANÇAR e -ENÇA (indicando um estado ou ação);

Exemplos: crença, mudança, lembrança.

Rate this post